Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Osteoporose: Conheça as causas e como reverter!

SAÚDE SEMPRE EM DIA

Junte-se a mais de 1 milhão de pessoas com a Saúde Sempre em Dia e receba atualizações, artigos, dicas e vídeos que vão fazer a sua saúde de ferro! (é grátis).

*Eu quero receber os e-mails e informações do SSD.

SAÚDE SEMPRE EM DIA

Junte-se a mais de 1 milhão de pessoas com a Saúde Sempre em Dia e receba atualizações, artigos, dicas e vídeos que vão fazer a sua saúde de ferro! (é grátis).

*Eu quero receber os e-mails e informações do SSD.

A osteoporose é uma doença que tem como característica principal a redução gradativa da densidade óssea e aumento das chances de fraturas. Por ser assintomática, dificulta bastante o seu diagnóstico precoce.
Para compreender o que acontece, é preciso explicar que os ossos são formados de uma estrutura onde se acumulam minerais como o potássio, o fósforo e o cálcio.

 

O processo de renovação dos ossos acontece durante toda a vida. Trata-se de um processo conhecido como remodelação óssea, no qual as células chamadas osteoclastos, removem tecidos gastos ou que tenham sofrido lesões, e substituem por outros, os osteoblastos, cuja função de é produzir um tecido novo e sadio.

 

Ao passar dos anos, a absorção das células antigas aumenta e a de produção de novas células ósseas diminui. Isso faz com que os ossos percam seu conteúdo, se tornando mais porosos e fracos

 

Tópicos do post:

  • Causas e Fatores de Risco
  • Tipos
  • Sintomas
  • Diagnóstico
  • Por que a osteoporose é mais comum nas mulheres?
  • Dicas para prevenção
  • Tratamentos
  • Mitos

 

Causas e Fatores de Risco

Os fatores de risco para o desenvolvimento da osteoporose podem ser classificados em dois grupos: Genéticos e Epigenéticos.

 

Fatores genéticos

  • Predisposição genética;
  • Pessoas de pele branca, baixas e magras;
  • Sexo feminino;
  • Asiáticos;

 

Fatores epigenéticos

  • Dieta pobre em magnésio, vitamina k2, cálcio e vitamina D;
  • Baixa exposição aos raios do sol;
  • Consumo excessivo de álcool;
  • Tabagismo;
  • Sedentarismo;
  • Inatividade;
  • Uso de determinados medicamentos à base cortisona e heparina;
  • Diabetes;
  • Algumas doenças reumatológicas, endócrinas e hepáticas.

 

Aprenda como se prevenir de fatores que podem causar a Osteoporose e outros problemas de saúde Clique aqui!

 

Tipos de osteoporose

 

01. Osteoporose senil

Pode ocorrer após os 70 anos, podendo atingir ambos os sexos. Está relacionada diretamente ao envelhecimento. Os principais fatores estão relacionados com a diminuição de produção de vitamina D pelo rim e aumento na produção de paratormônio.

 

02. Osteoporose pós-menopausa

Acomete mulheres após a menopausa. A queda brusca do nível de estrógeno que ocorre principalmente nos primeiros dez anos pós-menopausa. Tipicamente o risco de fratura em punho aumenta significativamente dez anos após a menopausa, fratura vertebral 15 a 20 anos após a menopausa e a fratura de quadril após os 70 anos de idade.

 

03. Osteoporose secundária

É decorrente de processos inflamatórios, como a artrite reumatoide; alterações endócrinas, como hipertireoidismo e desordens adrenais; mieloma múltiplo; por desuso; por uso de drogas como heparina, álcool, vitamina A e corticoides. A mais comum forma de osteoporose secundária é o uso de glicocorticoides em doses suprafisiológicas.

 

Sintomas

 

  • Retração gengival (deslocamento da gengiva em direção à ponta da raiz do dente)
  • Diminuição da força de preensão (força dos membros superiores)
  • Diminuição da altura corporal;
  • Dor nas costas;
  • Formigamento nas pernas;
  • Deformidade da coluna;
  • Dor no pescoço;
  • Dor no quadril.

 

Fora isso, ela geralmente é descoberta depois da fratura de algum osso, no qual pode ser causada por traumas mínimos.

As lesões mais comuns são as fraturas das vértebras por compressão, que levam a problemas de coluna e à diminuição da estatura e as fraturas do punho, costelas e colo do fêmur que é considerada a mais grave e relaciona-se com grande taxa de mortalidade nos anos seguintes à lesão.

 

Diagnóstico

O diagnóstico de osteoporose pode ser clínico ou exames laboratoriais e de imagem. O exame mais indicado é a densitometria óssea.
Ele possibilita medir a densidade mineral do osso na coluna lombar e no fêmur para comparar com valores de referência. Os resultados são classificados em três faixas de densidade decrescente: normal, osteopenia e osteoporose.

 

Por que a osteoporose é mais comum nas mulheres?

Existem 2 fatores que explicam e propiciam o aparecimento da doença no sexo feminino.

 

01. Fator biológico

O osso do homem é mais denso por natureza do que o da mulher.

 

02. Fator hormonal

Normalmente as mulheres começam a tomar a pílula anticoncepcional a partir dos 14 anos. Aos 35, estão menopausadas bioquimicamente. Ela bloqueia o processo de ovulação inibindo a produção do corpo lúteo, onde se produz a progesterona. Sem esse hormônio, a matriz óssea fica sem o seu principal elemento de produção, a progesterona, deixando o osso mais poroso.

 

Dicas para prevenção da osteoporose

Medidas de prevenção contra a osteoporose devem ser tomadas desde a infância e, especialmente, na adolescência para garantir a formação da maior massa óssea possível.

 

  • Aumentar a ingesta de Cálcio e vitamina D; (evite leite e derivados – veja mais na sessão mitos)
  • Prática de atividades físicas regular, sobretudo atividades com impacto como corridas, caminhada que é importante para o fortalecimento dos ossos;
  • Evitar excesso de cafeína e bebida alcoólica;
  • Exposição ao sol por volta de 10 minutos por dia entre os horários de 10hs e 14hs, quando há maior concentração de raios UVB.
  • Não fumar

 

Um outra dica importante é a Terapia Ortomolecular.

 

Tratamento

O primeiro tratamento no âmbito da prevenção é direcionado para a prática regular de atividade física, pois ela aumenta a formação dos osteoblastos. Vale caminhar, dançar, praticar a musculação ou qualquer outro tipo de exercícios. O que importa é que quanto mais você se exercita, mais ossos vai produzir.

 

  • Ingestão de cálcio – Vale o alerta que o leite e derivados, na visão da prática bioortomolecular, não possui cálcio suficiente e seu consumo em excesso pode gerar uma descalcificação dos ossos. Outras fontes melhores de cálcio são os vegetais de cor verde escuro, por exemplo. Também é importante consumir ovos, carnes e proteína vegetal como feijão e grão de bico.

 

  • A vitamina D, que é adquirida pelo sol, também é muito eficaz para evitar e tratar a osteoporose. A vitamina D3 pode ser associada a vitamina K2, magnésio, vitamina A, além de progesterona na mulher e testosterona no homem.

 

  • Progesterona – O uso de progesterona, associado à prática de atividades físicas, pode reverter o quadro de osteoporose até mesmo em mulheres acima de 70 anos.

 

Manter um organismo equilibrado é uma das melhores formas de tratamento. A solução para esses casos eu indico a Terapia Ortomolecular.

 

 

Mitos sobre a osteoporose

 

01. O Leite é bom para os ossos – MITO

Desde criança aprendemos que o leite é bom principalmente pela presença do cálcio. Porém, não é assim que funciona. O cálcio quase não existe no leite, pois ele passa por um processo de pasteurização e fervura e com isso perde quase todas as suas propriedades, se tornando um alimento ácido.
O organismo para manter o equilíbrio interno, faz com que os nossos rins tirem cálcio do osso para contrabalancear a acidez do meio interno. Desta maneira, por retirar cálcio do osso, o leite é um descalcificante ósseo.

 

02. Pessoas com osteoporose não pode praticar atividades físicas – MITO

Muito pelo contrário, o exercício físico é um grande aliado ao tratamento da osteoporose. A atividade física é um fator que contribui para o aumento da massa óssea, reduzindo a possibilidade do desenvolvimento de fraturas.

 

03.  Suplementando cálcio, é possível reverter a osteoporose – MITO

O cálcio sozinho, não sabe que tem ir que para os ossos. Quando se suplementa cálcio, a tendencia dele é depositar em tecidos moles, como rins, fígado, coração, cérebro, artérias, válvulas cardíacas. É necessário ingerir junto a Vitamina D3, Vitamina A, Magnésio quelato, Boro quelato e a Vitamina K2 (tipo MK7). Com esse conjunto é possível levar o cálcio para os ossos e dentes.

Design sem nome (26)

Texto de

Juliana Rios

Juliana Rios é Terapeuta Ortomolecular e idealizadora do Programa Saúde Sempre em Dia. Ver outros artigos da autora →